Gi FABRE : Projeto 5on5 #2 Mulheres no Poder

domingo, 5 de agosto de 2018

Projeto 5on5 #2 Mulheres no Poder

Olá, tudo bem?
Vamos ao nosso segundo post desse projeto que está pra lá de legal. #5on5

5 BLOGUEIRAS;
5 FOTOS;
TODO DIA 5;
ÀS 17 HORAS.

São elas:

Gi Fabre : Eu 
Karina - Olá Realezas : http://www.olarealezas.com.br/


#desafiofotográfico #desafiodaspoderosas


Hoje, eu venho falar de mulheres. Mulheres estas que foram, são e sempre serão referência para seus admiradores. Mulheres que marcaram história, mulheres que deixaram um legado, mulheres que sofreram e revolucionaram. São elas: Florence Nightingale , Anna Nery , Princesa Isabel, Chiquinha Gonzaga e Maria da Penha. 

Mulheres no Poder 

No poder de informação;
No poder de transformação;
No poder de compaixão;
No poder de libertação.


1 - FLORENCE NIGHTINGALE
12/05/1820 - 13/08/1910

Nasceu em Florença, na Itália, no dia 12 de Maio de 1820. Anos depois, em uma viagem ao Egito, visitando hospitais, despertou sua vocação para a enfermagem, apesar de na época não ser uma atividade digna.
Em 1854, surgiu uma oportunidade para Florence seguir para o hospital militar inglês em Scutari, que atendia os feridos anglo-franceses na Guerra da Criméia, onde os soldados morriam vítima da cólera e do frio. Os soldados fazem dela o seu anjo da guarda e ela será imortalizada como a "Dama da Lâmpada", porque, de lanterna na mão, percorre as enfermarias, atendendo os doentes. 
Durante a guerra, contrai tifo e ao retornar da Criméia, em 1856, leva uma vida de inválida. Dedica-se porém, com ardor, a trabalhos intelectuais. Pelos trabalhos na Criméia, recebe um prêmio do Governo Inglês e, graças a este prêmio,consegue iniciar o que para ela é a única maneira de mudar os destinos da Enfermagem - uma Escola de Enfermagem. Fundou sua escola no Hospital Saint Thomas, que passou a servir de modelo para as demais escolas que foram fundadas posteriormente. Florence morre em 13 de agosto de 1910, deixando florescente o ensino de Enfermagem.
A vida de Florence e seu papel enquanto criadora da Enfermagem moderna no mundo é destacado como algo positivo, como uma mulher que dedicou a sua vida para o cuidado do outro e para a profissionalização da enfermagem. O nome Florence Nightingale e os componentes como honestidade, sobriedade, religiosidade e devoção, a habilidade de observação minuciosa e a delicadeza, como atributos de uma enfermeira confiável, fizeram com que esta fosse considerada um modelo de enfermeira em todo o mundo. 

2 - ANNA NERY

 13/12/1814 - 20/05/1880

Anna Justina Ferreira Nery, nasceu em 13/12/1814, morava na Bahia, na cidade de Vila de Nossa Senhora do Rosário do Porto de Cachoeira.
Em 1864 começa a Guerra do Paraguai, onde Anna Nery atuou como voluntária, após ter encaminhado uma carta ao presidente da província da Bahia, Miguel Pinto de Souza Dantas. Obteve algumas lições sobre cuidados hospitalares com as Irmãs da Caridade de São Vicente de Paula, no Rio Grande do Sul.
No campo de batalha prestou cuidados aos feridos e manteve-se abnegada à pátria, mesmo após a perda do filho Justiniano de Castro Rebello e do sobrinho Arthur Rodrigues Ferreira.
No retorno da Guerra do Paraguai em 1870 foi homenageada por diversas autoridades civis e militares, recebendo o título de Mãe dos Brasileiros pelos soldados brasileiros, dentre outros. Anna Nery com residência estabelecida no Rio de Janeiro, passou a cuidar de órfãs, e abre uma enfermaria, que atualmente é a Escola de Enfermagem Anna Nery localizada na Universidade Federal do  Rio de Janeiro ( UFRJ ).
Anna Nery é conhecida como a Dama da Caridade, e deixa uma inspiração de ousadia e benevolência. 

3 - PRINCESA ISABEL

29/07/1846 - 14/11/1921
Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Bourbon-Duas Sicílias e Bragança 


Apelidada de "a Redentora", foi a segunda filha, a primeira menina, do imperador D. Pedro II do Brasil e sua esposa a imperatriz Teresa Cristina das Duas Sicílias. Como a herdeira presuntiva do Império do Brasil, ela recebeu o título de Princesa Imperial.
A princesa serviu três vezes como regente do império enquanto seu pai viajava pelo exterior. 
Mulher de bom coração, se preocupava com os escravos e sancionou em 28/09/1871 a Lei do Ventre Livre, onde desde então libertou todos os filhos de escravos que nascessem a partir desta data. Mas ela queria mais, ela queria abolir a escravidão por completo no Brasil, então em 13 de Maio de 1888 Princesa Isabel apresentou a Lei Áurea, e desde então todos os escravos foram libertos.
Uma mulher de fibra, que merece ser homenageada, deixou um legado de respeito e humanidade. Embora hoje em dia ainda existam reflexos de escravidão, o Brasil caminha em passos longos para uma liberdade em todos os aspectos: Religioso, Social, Racial e de Gênero . Que a atitude da Princesa Isabel sirva de exemplo para nós. 

4 - CHIQUINHA GONZAGA

17/10/1847 - 28/02/1935

Francisca Edwiges Neves Gonzaga nasceu no Rio de Janeiro, em 17 de outubro de 1847, da união de José Basileu Neves Gonzaga, militar de ilustre linhagem no Império, com a forra Rosa, filha de escrava. A menina cresceu e se educou num período de grandes transformações na vida da cidade. Além de escrever, ler e fazer cálculos, estudar o catecismo, e outras prendas femininas, a jovem sinhazinha aprendeu a tocar piano. 
A Chiquinha Gonzaga que emerge no cenário musical do Rio de Janeiro em 1877, após desilusão amorosa, maldição familiar, condenações morais e desgostos pessoais é uma mulher que precisa sobreviver do que sabia fazer: tocar piano. Ninguém ousara tanto. Praticar música ao piano, ou até mesmo compor e publicar, não era incomum às senhoras de então, mas sempre mantendo o respeito ao espaço feminino por excelência.
A compositora e maestrina carioca Chiquinha Gonzaga  destaca-se na história da cultura brasileira e da luta pelas liberdades no país pelo seu pioneirismo. A coragem com que enfrentou a opressora sociedade patriarcal e criou uma profissão inédita para a mulher, causou escândalo em seu tempo. Atuando no rico ambiente musical do Rio de Janeiro do Segundo Reinado, no qual imperavam polcas, tangos e valsas, Chiquinha Gonzaga não hesitou em incorporar ao seu piano toda a diversidade que encontrou, sem preconceitos. Assim, terminou por produzir uma obra fundamental para a formação da música brasileira, pela primeira vez apresentada ao grande público por meio do Acervo Digital Chiquinha Gonzaga.
Compositora de marchinhas carnavalesca que até hoje são tocadas nos desfiles de Carnaval, entre elas  " Abre alas", conhecida por todos sempre anima os bailes  carnavalescos. 

5 - MARIA DA PENHA


Maria da Penha Maia Fernandes, nasceu em Fortaleza, Ceará, em 1 de Novembro de 1945) é uma farmacêutica bioquímica formada pela Universidade Federal do Ceará, no ano de 1966, na primeira turma. Possui também Mestrado em Parasitologia em Análises Clinicas, pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo. Atualmente, encontra-se aposentada.
Ela foi uma das inúmeras mulheres vítimas de violência doméstica no Brasil. Seu caso foi emblemático pois levou à denúncia do Brasil na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, comissão integrante da Organização dos Estados Americanos (OEA).
Essa denúncia resultou na condenação internacional do Brasil, pela tolerância e omissão estatal nos casos de violência contra a mulher.  
Com essa condenação, o Brasil foi obrigado a cumprir algumas recomendações, dentre as quais destaca-se a de mudar a legislação brasileira para que houvesse uma maior proteção das mulheres em relação à violência doméstica. Isso levou à criação da Lei Maria da Penha, no ano de 2006. 
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
E essas foram as mulheres escolhidas para esse post, mulheres que marcaram história, mulheres que merecem ser homenageadas e admiradas. 
Eu espero que você tenha gostado e me diz aí nos comentários qual mulher que pra você merece ser admirada. 

💝 OBRIGADA 💝

11 comentários:

  1. Nossa lendo sobre essas mulheres , me sinto muito mais forte para o Brasil que vivemos, com certeza em quem me inspiro é Maria da Penha, eu sofri violência domestica e foi a lei que tem o nome dela, que me salvou de um destino mais fatal, mais sei que até hoje mulheres sofrem caladas, chega disso, hoje qualquer um que presencie uma violência seja ela física ou não pode e deve denunciar, arrasou no post

    ResponderExcluir
  2. Chiquinha Gonzaga e Maria da Penha são as minhas preferidas amo incondicionalmente as historias cheia de significado representa uma luta que não podemos calar

    ResponderExcluir
  3. Nossas mulheres realmente merecem ter o título de poderosas. Ela nos inspira a ser forte. E nós mostra que somos capazes. Só não conhecia as 2 primeiras. Mas admiro a história delas. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Gi, arrasou na escolhas, eu só conhecia um pouco da história da Maria da Penha, acredita?!?? Muitas mulheres fortes, com garra, e que devemos sempre enaltecer. Adorei!

    ResponderExcluir
  5. Nossa Gi, to muito feliz com esse post! A Florence é uma das minhas preferidas listadas aí! A história dela é linda, ela salvou muita gente na guerra, aprendi sobre ela é sobre a Ana Nery na faculdade. Sei a história da Florence, quase 100%. Maria da Penha foi muito importante para nós mulheres e para o mundo!

    ResponderExcluir
  6. Que incrível esse projeto de vocês! Tô amando conhecer histórias dessas guerreiras que fizeram história. Obrigada por dividirem conosco, essa ideia foi genial. ❤️

    ResponderExcluir
  7. Esse projeto está incrível!
    Quantas mulheres maravilhosas eu conheci, eu até conhecia algumas por nome outras ñ.
    Amei o post

    ResponderExcluir
  8. Mulheres lindas guerreiras que faz parte da nossa história,
    Achei sensacional esse post mostra que a mulher segundo o povo que somos sexo frágil, de frágil não temos nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, de frágil não temos nada e temos que lutar para que esse pensamento seja mudado.

      Excluir
  9. De todas elas eu admiro muito a Maria da Penha pois a lei que ela criou tem ajudado muitas mulheres que sofrem agressão doméstica devido a mulher hj ser independente. Muitos homens acabam criando odio das mulheres e como consequencia o Femicidio. Ainda hj existe preconceito na area profissional onde mulher faz o msm e ganha menos. Vamos mudar issoo. Bjos

    ResponderExcluir
  10. Que post completamente top e esse projeto ah maravilhoso show viu.

    ResponderExcluir

INSCREVA-SE !